Paz Em Um Mundo Perturbado

Imprimir
É uma alegria olharmos para a Palavra de Deus em um momento de angústia e de provação [em razão da crise de saúde mundial]. Para algumas pessoas uma sensação forte de perigo diante da realidade de nossa mortalidade. O cenário confronta todos nós neste momento. E o lugar para irmos num momento assim é a Palavra de Deus, e é isso que eu quero fazer agora.

Para começar, deixe-me lembrá-lo de algo que o amigo de Jó, Elifaz, disse. Ele disse o seguinte – e ele estava certo – Jó 5:7: “o homem nasce para as dificuldades tão certamente como as fagulhas voam para cima.” O problema, as dificuldades são certos e implacáveis. A vida é perigosa. De fato, não há nada mais certo do que o fato de que todos vamos morrer. Essa é a certeza da vida. Nesse sentido, a vida é uma doença terminal. A vida é uma condição fatal. A vida é uma doença mortal.

Lembro-me de estar no Larry King Show depois do 11 de setembro, e Larry King me disse: “Qual é a lição aqui?”. Eu disse: “A lição é que todo mundo vai morrer, e você não está necessariamente no controle de quando.” O perigo da morte está ao nosso redor, e o que contribui para essa morte está ao nosso redor e até em nós. Todo mundo morre. Daqui a cem anos, nenhum de nós estará por aqui. Isso é inevitável. A vida é o perigo mais abrangente de todos, pois ninguém escapa de seu fim inevitável. Mas, às vezes, há coisas que acontecem que nos assustam além do senso normal de morte iminente.

  • Um bilhão de pessoas morreram em guerras.
  • 70 milhões de pessoas morrem por ano no mundo.
  • 15 milhões delas morrem de doenças cardíacas.
  • 10 milhões delas morrem de câncer.
  • 15 mil crianças morrem todos os dias.
  • 4 mil pessoas morrem todos os dias de acidentes nas estradas.
  • 50 milhões de pessoas morreram na epidemia de gripe espanhola em 1918.
  • O maior de todos os holocaustos foi a Peste Negra, em 1300, quando 75 milhões de pessoas morreram.

Uma perspectiva sobre isso pode ser útil para nós. John Kelly escreveu um livro em 2006 intitulado “A Grande Mortalidade: Uma História Íntima da Peste Negra, a Praga Mais Devastadora de Todos os Tempos”. Este é um trecho do livro, em que ele descreve o que as pessoas estavam passando quando 75 milhões delas estavam morrendo:

Depois de assistir a matilhas de cães selvagens cavarem as covas recém ocupadas com corpos de vítimas da peste negra, um coletor de impostos em Sienna escreveu: ‘Este é o fim do mundo.’ Seus contemporâneos forneceram descrições vívidas de como era o fim do mundo, por volta de 1348 e 1349. Havia cadáveres empilhados como massa de lasanha em poços destinados para essa finalidade nos municípios, carrinhos de coleta serpenteando pelas ruas pela manhã para pegar os mortos do dia anterior, maridos abandonando esposas moribundas e pais abandonando crianças moribundas por medo de contágio, e pessoas agachadas em latrinas e esgotos inalando os vapores nocivos, na esperança de se proteger contra a praga. Eram estradas empoeiradas repletas de refugiados em pânico, navios fantasmas tripulados por cadáveres, e uma criança correndo em uma aldeia deserta nas montanhas. Por um momento, em meados do século XIV, milhões de pessoas em toda a Eurásia começaram a contemplar o fim da civilização, que talvez esse fosse o fim da raça humana.

Só podemos imaginar o terror que ocupou o coração das pessoas que foram expostas a isso. Podemos ser gratos porque, pela providência de Deus, estamos vivendo em uma época em que isso não acontece. E o que enfrentamos agora [a crise de saúde mundial] seria considerado como um problema muito menor, se comparado com a peste negra.

E, no entanto, como vivemos um mundo inteiro de pessoas afastadas de qualquer esperança eterna, tudo gera medo para elas. Para aqueles que não conhecem o Senhor Jesus Cristo, que não têm verdadeira esperança após a morte, é razoável temer, é razoável se preocupar com a morte, porque eles enfrentarão, como sabemos, julgamento divino e punição eterna.

Mas e a família de Deus? Como reagimos a essas coisas? E como podemos ser a rocha, o lugar seguro, o protetor e o ajudante daqueles que nos rodeiam? Como reagimos e qual é a nossa perspectiva? A Palavra de Deus é clara sobre isso. Então, eu quero encorajá-lo, antes de tudo, com algumas declarações da Palavra de Deus. Isso é Deus falando conosco. Deixe-me ler para você trechos dos Salmos. Ouça-os e os leve a sério:

O Senhor será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia. Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam. (Salmos, 9:9-10).

Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo. Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; pôr-me-á sobre uma rocha. Também agora a minha cabeça será exaltada sobre os meus inimigos que estão em redor de mim; por isso oferecerei sacrifício de júbilo no seu tabernáculo; cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor. Ouve, Senhor, a minha voz quando clamo; tem também piedade de mim, e responde-me. (Salmos 27:4-7)

Busquei ao Senhor, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. Olharam para ele, e foram iluminados; e os seus rostos não ficaram confundidos.Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu, e o salvou de todas as suas angústias. O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra. Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia. Temei ao Senhor, vós, os seus santos, pois nada falta aos que o temem. Os filhos dos leões necessitam e sofrem fome, mas àqueles que buscam ao Senhor bem nenhum faltará. (Salmos, 34:4-10)

Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias. Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito. Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas. (Salmos, 34:17-19)

A salvação dos justos vem do SENHOR,Ele é a sua fortaleza na hora da adversidade! (Salmos, 37:39)

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não se abalará. Deus a ajudará, já ao romper da manhã. O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. (Salmos, 46:1-5,7)

E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás. (Salmos, 50:15)

O meu coração está dolorido dentro de mim, e terrores da morte caíram sobre mim. Temor e tremor vieram sobre mim; e o horror me cobriu. Assim eu disse: Oh! quem me dera asas como de pomba! Então voaria, e estaria em descanso. Eis que fugiria para longe, e pernoitaria no deserto. Apressar-me-ia a escapar da fúria do vento e da tempestade. (Salmos, 55:5-8)

Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá; não permitirá jamais que o justo seja abalado. (Salmos, 55:22)

O Senhor é bom, ele serve de fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele. (Naum 1:7)

Essa proteção é prometida ao povo de Deus. E Deus repete essas promessas muitas vezes em Sua Palavra. Li diversos salmos onde Deus repetidamente declara Seu compromisso com a proteção e o cuidado daqueles que são Seus, para que eles vivam seus dias como Deus lhes ordenou. E essas que li agora são apenas amostras, pois as Escrituras estão repletas dessas declarações

Ele nos protegerá até o dia que Ele ordenou, para que possamos realizar Sua vontade e Seu propósito. Mas, essa proteção foi prometida apenas àqueles que são obedientes ao Senhor.

De volta ao capítulo 26 de Levítico, temos algumas promessas que Deus fez. Ele disse:

1 Não fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura, nem estátua, nem poreis pedra figurada na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque eu sou o SENHOR vosso Deus.
2 Guardareis os meus sábados, e reverenciareis o meu santuário. Eu sou o Senhor.
3 Se andardes nos meus estatutos, e guardardes os meus mandamentos, e os cumprirdes,
4 Então eu vos darei as chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua colheita, e a árvore do campo dará o seu fruto;
5 E a debulha se vos chegará à vindima, e a vindima se chegará à sementeira; e comereis o vosso pão a fartar, e habitareis seguros na vossa terra.
6 Também darei paz na terra, e dormireis seguros, e não haverá quem vos espante; e farei cessar os animais nocivos da terra, e pela vossa terra não passará espada.

Deus continua, a partir daí, prometendo bênção após bênção. Mas, a bênção mais importante está no versículo 12 de Levítico 26: “E andarei no meio de vós, e eu vos serei por Deus, e vós me sereis por povo.” E então, Deus declara a partir do versículo 14, de Levítico 26:

14 Mas, se não me ouvirdes, e não cumprirdes todos estes mandamentos,
15 E se rejeitardes os meus estatutos, e a vossa alma se enfadar dos meus juízos, não cumprindo todos os meus mandamentos, para invalidar a minha aliança,
16 Então eu também vos farei isto: porei sobre vós terror, a tísica e a febre ardente, que consumam os olhos e atormentem a alma; e semeareis em vão a vossa semente, pois os vossos inimigos a comerão.
17 E porei a minha face contra vós, e sereis feridos diante de vossos inimigos; e os que vos odeiam, de vós se assenhorearão, e fugireis, sem ninguém vos perseguir.

E Deus continua a falar das maldições que cairão sobre aqueles que O desobedecem. O motivo de ler isso em Levítico 26, é que embora seja uma passagem familiar, devemos ser lembrados novamente de que aqueles que pertencem ao Senhor, que são Sua possessão, e que andam em fidelidade ao Senhor são protegidos pelo Senhor. Aqueles que desobedecem ao Senhor não têm protetor.

Eles não têm protetor. Eles fazem parte do reino das trevas; e o cabeça do reino das trevas é o próprio Satanás, que é mentiroso e assassino, diz nosso Senhor Jesus. Todos conhecemos a história de Israel. Todos sabemos que eles foram tristemente desobedientes ao Senhor, e as maldições caíram sobre eles, como a história do Antigo Testamento nos diz.

Quando chegamos ao Novo Testamento – e vamos fazer isso agora – o Senhor está reunindo um novo povo. E quero que você se volte para Mateus, capítulo 6. O Senhor está reunindo um novo povo, uma nação santa, um sacerdócio real, um povo para Sua posse, e para eles Ele promete bênçãos, promete bênçãos para os fiéis. Este é o novo povo, o povo que pertence ao Senhor, e Ele faz promessas a eles, e parte da lista de promessas vem nos versículos 25 a 34 de Mateus 6. Ouça o que nosso Senhor Jesus disse:

25 Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?
26 Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?
27 E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?
28 E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;
29 E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.
30 Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?
31 Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?
32 Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;
33 Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
34 Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal.

Três vezes nessa passagem, Jesus diz “não se preocupe”. Na verdade, ele diz, no texto: “não se preocupe”, “pare de se preocupar” e “não comece a se preocupar”, alterando a forma do verbo. Se você está preocupado, pare. Se você ainda não está se preocupando, não comece. E no geral, não se preocupe, não fique ansioso.

O verbo traduzido como “preocupar” ou “estar ansioso” aqui tem a ideia de preocupação excessiva. Não se preocupe com sua vida. Por que você se preocuparia com sua vida, se você pertence a Deus? A palavra “vida”, no idioma original, é “psuchē”. Significa simplesmente sua respiração. Não se preocupe com sua vida temporal, ou seja, com o que você come, bebe e com o que veste.

Essa é a sua vida temporal. Não fique preocupado com a sua vida temporal e suas necessidades. Você está no reino. Você pertence ao reino de Deus. Você é um filho de Deus. Ele garantirá que você tenha tudo o que precisa. Não se preocupe com o que você vai comer, com o que você vai beber ou ou vai vestir.

Hoje muitos possuem a realidade de poder escolher o que vai comer, beber e com o que vai se  vestir, pois tem opções para escolher. Mas, isso era muito diferente no mundo antigo. Alimentos, bebidas e roupas geralmente causavam profunda preocupação aos povos antigos. O conselho de Jesus era muito impactante para aqueles que, em muitos casos, não tinham nada além do que estavam vestidos e tinham que esperar até o dia seguinte para descobrirem se haveria algo para comer. A comida era uma preocupação constante, fosse você rico ou pobre.

No calor escaldante do verão na terra de Israel, os córregos secavam e a obtenção de água era uma preocupação grave. Mesmo as roupas não eram de modo algum fáceis de se obter. Você se recorda que em Provérbios 31 a mulher piedosa estaria fazendo roupas para seus filhos. Você tinha que preparar a comida, tinha que encontrar a água, tinha que fazer a roupa. Era uma preocupação de vida, apenas um tipo de nível de sobrevivência para a maioria das pessoas.

Mas, mesmo naquele ambiente em que comida e bebida não estavam tão prontamente disponíveis como estão em qualquer lugar próximo de nós hoje, nosso Senhor está dizendo: “Não se preocupe com essas coisas”. E Ele nos dá três razões para isso: 1.”não se preocupe, porque você tem um Pai”; 2. “não se preocupe, porque você pertence a uma família” e 3. “não se preocupe, porque você tem um futuro.”

Essa é uma porção maravilhosamente rica das Escrituras, e poderíamos passar muitas semanas nela. Decidi condensá-la para vermos tudo nessa manhã. Vamos começar onde nosso Senhor começa.

1 – Não se preocupe, pois você tem um Pai

Não se preocupe com sua vida, sua vida temporal – comer, beber, vestir – porque a vida é muito mais que comida e o corpo é muito mais que roupa. Você precisa visualizar uma imagem maior, precisa ir além do que é físico. Você não pode viver consumido de preocupação pela realidade da privação no mundo físico, ou pela ameaça dessa privação, como vemos muitos fazerem. Sabemos que as pessoas têm medo disso. A ansiedade, antes de tudo, é absolutamente tola se você pertence ao Senhor, porque você tem um Pai celestial.

Veja os versículos 26 e seguintes novamente:

26 Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?
27 E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?
28 E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;
29 E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.
30 Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?

Você esqueceu quem é seu Pai? É isso que Jesus está questionando. O nosso Senhor está falando sobre comida. Ele aponta para cima, sem dúvida, para um bando de pássaros voando. A Palestina está cheia de pássaros, Israel está cheio de pássaros, sempre esteve. É onde as aves migram da Europa para a África no inverno. Um livro chamado “Todos os pássaros da Bíblia” chama a Galileia de a encruzilhada da migração de pássaros. Os pássaros não se preocupam, não armazenam mercadorias para o futuro.

Jó 38:41 diz: “Quem prepara aos corvos o seu alimento, quando os seus filhotes gritam a Deus e andam vagueando, por não terem o que comer?” O Salmo 104:14-15 diz: “Faz crescer a erva para o gado, e a verdura para o serviço do homem, para fazer sair da terra o pão, e o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem.”

O Salmo 145:15 diz: “Os olhos de todos esperam em ti, e lhes dás o seu mantimento a seu tempo.” Mais uma vez, está falando sobre o mundo dos animais, no Salmo 147:9, quando diz: “O que dá aos animais o seu sustento, e aos filhos dos corvos, quando clamam.”

Como se pode dizer que essas criaturas irracionais clamam a Deus? É metafórico, porque o instinto natural deles é desejar comida. Isso é como um choro do coração. Amo o que A. W. Pink escreveu:

Aqui podemos ver como as criaturas irracionais, sujeitas à vaidade pelo pecado do homem, se aproximam de seu primeiro estado e observam melhor a ordem da natureza em sua criação do que os homens; pois os animais buscam apenas o que Deus lhes deu, e quando o recebem, estão satisfeitos. Isso demonstra solenemente que o homem é mais corrupto do que outras criaturas, mais vil e cruel do que os animais selvagens.

O que Pink está dizendo é que os animais estão satisfeitos quando têm com o que precisam, mas nós não. É essencial lembrar que isso obviamente não é uma desculpa para a ociosidade. Não devemos sentar e deixar que o Senhor nos entregue comida nas mãos. Os pássaros alimentados por Deus não se sentam em um galho esperando que Deus lhes entregue o alimento. Eles usam as formas mais surpreendentes para conseguir sua comida. Eles a procuram constantemente e continuamente. Eles trabalham, porque Deus lhes deu o que eles precisam, mas eles devem trabalhar para adquiri-lo.

Se Deus se importa com os pássaros, podemos pensar por um momento que Ele se importa menos conosco? Precisamos temer o futuro, quanto ao que comeremos? Precisamos armazenar e encher celeiros, ignorando as promessas de Deus e perdendo a tranquilidade do coração? Se os pássaros – que não podem planejar com antecedência – têm suas necessidades atendidas por Deus, Ele não atenderá às nossas necessidades?

Essa realidade simples é a pergunta no final do versículo 26: “Vocês não valem muito mais do que eles?” A argumentação parte do menor para o maior: “Se Deus se importa com os pássaros, você duvida que Ele vai cuidar de você?” Isso é profundo e poderoso.

Olha, a vida é um presente de Deus, certo? Se Deus dá vida, Ele sustenta a vida. Enquanto Ele pretender dar, Ele a sustentará. E já que Deus é o doador da vida – e Ele é e nos deu vida – Ele sustentará essa vida. Você não se criou, não se planejou para o mundo, não se colocou onde está. A providência do propósito de Deus te colocou exatamente onde você está. Ele te deu vida e irá sustentá-la para Seus próprios propósitos.

E quando você estiver sofrendo qualquer ameaça de perder ou ser privado de algo, você deve se lembrar que Deus te deu a vida e a plenitude dessa vida. Ao andar em obediência a Deus, Ele te sustentará, e isso significa que Ele fornecerá tudo o que você precisa. Se Deus me deu vida, Ele me dará a comida para sustentar essa vida. Então, o que eu faço? Eu diariamente agradeço a Ele.

De volta à oração anterior, no capítulo 6 de Mateus, versículo 11: “dá-nos o pão de cada dia”. É tudo o que precisamos pedir, é tudo o que realmente precisamos. Mas, como conseguimos viver e agir assim? Lutero disse: “Deus não quer nada com as barrigas gulosas e preguiçosas que não estão preocupadas nem ocupadas. Elas agem como se tivessem que sentar e esperar que Deus jogue um ganso assado em suas bocas.”

Deus provê, mas provê nos dando força para trabalhar e a mente para trabalhar. Temos um Pai amoroso que cuida de nós em Sua providência, e encheu a terra com todas as coisas boas, que são acessíveis para aqueles que são diligentes.

Então, aprendemos o primeiro ponto que nosso Senhor está tratando. Não faz sentido se preocupar com sua comida, porque o Pai que lhe deu a vida lhe dará o que você precisa para que essa vida seja sustentada. Diga não à auto-indulgência, diga não à auto-segurança, diga não à autossuficiência. Diga sim à provisão de Deus com confiança.

E então, Ele fala também sobre saúde, no versículo 27: “E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?”, ou seja, 45,72 centímetros. As pessoas estão quase obcecadas nessa cultura com a manutenção da vida e da saúde. Nunca houve uma cultura tão empenhada em se exercitar, apenas pelo simples fato de se exercitar.

Não é como se estivéssemos nos exercitando porque precisamos ser saudáveis e fortes para esculpir nossa existência em um mundo difícil. Tudo vem fácil para nós agora. Então, agora temos saúde por causa da saúde, não por causa de qualquer outra coisa, ou também queremos ter saúde para nos orgulharmos dela.

A ansiedade por causa da morte também está fazendo as pessoas quererem entrar em forma, porque temem a morte. As pessoas fazem investimentos incríveis na área da saúde. Nunca deixo de me surpreender com a quantidade de medicamentos e misturas naturais que estão sendo oferecidos às pessoas para manterem sua saúde. Mas com tudo isso, você pode realmente adicionar um côvado à sua “hēlikia”? Essa palavra grega usada no texto e provavelmente significa tempo de vida.

Jesus está dizendo: “Você não pode estar ansioso em função de querer ter uma vida mais longa”. De fato, você não deve estar ansioso por qualquer motivo, porque a ansiedade é um pecado para um crente. A preocupação basicamente diz: “Eu não confio em Deus, então vou me preocupar”. E a ansiedade não prolonga a vida, pois afeta a saúde. A ansiedade afeta a circulação sanguínea, o coração, as glândulas, todo o sistema nervoso.

Ninguém conhece alguém que morreu realmente de excesso de trabalho; mas muitas pessoas morrem de preocupação, ansiedade. Deus nos deu vida, Deus sustentará essa vida, não precisamos nos preocupar com essa vida. Precisamos ser fiéis a Ele, para que seja uma vida plena, como Ele planejou para nós, antes de nos levar à glória. E então, o Senhor fala sobre roupas, nos versículos 28 a 30, conforme lemos:

E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; e eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?

E quando Jesus diz “olhai” ou “observai”, precisamos fazer exatamente isso, observar. Nosso Senhor quer que olhemos para os lírios do campo que, sem dúvida, se pudéssemos olhá-los através de um microscópio, revelariam um tipo incrível de textura, forma, beleza e cor que excedem até as roupas mais caras que conhecemos. O homem mais rico do mundo antigo, o próprio Salomão, em toda a sua glória não estava vestido como uma flor no campo.

O Senhor providenciou as roupas para a flor, é o que o texto está dizendo. As flores são bonitas, frágeis, mas se compararmos as vestes finas de Salomão com elas, suas vestes são trapos, panos de saco, comparadas à beleza das flores.

Pegue uma flor, olhe-a através de um microscópio, depois pegue um pedaço de pano, qualquer tipo de pano e submeta-o ao microscópio, e você verá que o pano é nada quando é visto dessa maneira. Mas as pétalas da flor são uma tecelagem requintada de Deus. Se Deus vai cuidar das flores, você não acha que Ele vai cuidar de você?

E as flores não vivem por muito tempo. Jesus diz: “se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno…”. No mundo antigo, eles usavam a grama morta e as flores mortas como combustível nos fornos. Vegetação seca queima com muita facilidade e alimentam incêndios. Mas, Jesus está nos lembrando, em outras palavras: “se Deus irá cuidar daquelas coisas que duram tão pouco tempo, Ele não vai vestir muito mais a você?”, o versículo 30 diz. Novamente, é o argumento do menor para o maior. Se Deus cuida daquelas coisas que são tão insignificantes, Ele não cuidará de você?

O resumo disso é claro: Deus é seu Pai, e Deus cuida daqueles que são Seus. A declaração-chave, no versículo 26, “Seu Pai celestial, seu Pai que está nos céus”, como qualquer pai fiel, Ele alimentará e vestirá Seus amados filhos. Duvidar disso é expressar o pecado da incredulidade, final do versículo 30: “homens de pouca fé!”. E, a propósito, o Senhor disse isso várias vezes aos discípulos. Está registrado em Mateus, capítulo 6, aqui no versículo 30, e na passagem paralela em Lucas 12.

Novamente, em Mateus 8, Jesus diz: “homens de pouca fé”, apontando o medo de se afogarem em uma tempestade, embora Ele estivesse lá. Mateus 14 também mostra Jesus reagindo ao medo de Pedro e lhe exortando sobre o fato de que Pedro tinha pouca fé. Em Mateus 16, vemos os discípulos expressando continuamente essa falta de fé. Isso aconteceu durante todo o ministério de nosso Senhor com os discípulos.

Eles demonstravam continuamente a incapacidade de confiar suas vidas a Deus. É pecado ter falta de fé. Não confiar em Deus é um pecado. Entenda Seu amor, entenda Seu cuidado, entenda Seu poder, entenda Suas habilidades, entenda Suas promessas. Portanto, a ansiedade é, antes de tudo, um pecado porque desprezamos o fato de Deus ser nosso Pai.

2 – NÃO SE INQUIETE OU SE PERTURBE, POIS VOCÊ PERTENCE A UMA FAMÍLIA

Vá para o versículo 31. Aqui está a segunda vez que Jesus diz: “Não andem inquietos”, que é uma forma diferente de dizer “não andem ansiosos”. Ouça os versos 31 a 33: “Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”

O verso 32 diz: “Porque todas estas coisas os gentios procuram.” Você não é um pagão. O termo “gentio” é o termo chave. Você não faz parte das nações. Você não é pagão. Você não faz parte do reino das trevas. É desnecessário, sem sentido, é inútil se preocupar, se inquietar.

É infidelidade você se inquietar, já que você não faz parte do grupo daqueles sim que deveriam se preocupar, porque eles rejeitaram o Pai celestial, porque não têm esperança, não têm promessa. Eles se voltaram contra Deus e Deus é seu inimigo, mas você não. “Porque todas estas coisas os gentios procuram.” O sentido do verbo “procurar” aí é “buscar ansiosamente”. Os ímpios vivem para isso.

Pessoas fora do reino de Deus vivem pelo que comem, pelo que bebem e pelo que vestem. Os pagãos, o mundo sem Cristo, aqueles que não reconhecem a Deus, não conhecem a Deus como seu Pai, e não vieram a Ele para clamar Sua provisão e Sua promessa, têm motivos para se preocupar com seu sustento. Eles estão por conta própria.

Agora, mesmo para os ímpios, há uma provisão providencial. Deus permite que o sol se levante sobre os justos e os injustos, e que a chuva seja a mesma, e Deus providenciou no mundo a graça comum pela qual a vida das pessoas pode ser sustentada. E, observe, mesmo os ímpios são sustentados por Deus.

É Deus quem sustenta a vida de tudo que vive, desde o menor inseto até o ser humano mais significativo. Todos são sustentados por Deus em um sentido geral, por Sua providência global e graça comum. Mas, os ímpios não podem reivindicar qualquer provisão de Deus em virtude de Ele ser seu Pai.

De fato, aqueles que rejeitam o Deus verdadeiro criaram deuses próprios, deuses falsos e, portanto, violaram o primeiro mandamento e estão sob julgamento. Eles não têm garantia de seu próximo suspiro. Eles não têm promessa de um protetor, ninguém para cuidar deles. Eles estão fora do reino de Deus, estão no reino das trevas, estão no reino da morte; eles deveriam ter medo.

A frase de nosso Senhor aqui é enfática, e eu a mencionei, mas deixe-me mencionar novamente. O versículo 32, “Porque todas estas coisas os gentios procuram.” O sentido aqui é que eles buscam essas coisas usando toda a energia deles, totalmente comprometidos em uma busca material pela sobrevivência.

Mas quão diferentes somos? Estamos na família de Deus, e Deus nos garante um suprimento completo de tudo o que precisamos. É vergonhosamente mau que um filho de Deus desça ao nível dos pagãos que não conhecem a Deus. Você está na família de Deus.

As pessoas do mundo procuram essas coisas, e com razão deveriam, porque elas são seus próprios protetores. Elas são seus próprios salvadores, temporalmente falando. Elas estão por conta própria. Elas precisam se preocupar com comida. Elas precisam se preocupar com a bebida. Elas precisam se preocupar com roupas. Elas precisam se preocupar com a vida.

Mas, elas precisam entender: para viver assim, você acaba servindo ao dinheiro. Volte ao capítulo 6, versículo 24: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.”

Mas, o mundo fez sua escolha. Eles não servirão a Deus, eles servirão ao dinheiro. O dinheiro é o deus supremo; o que for preciso para se protegerem, se sustentarem, eles perseguem com todos as suas forças. Essa é a verdadeira razão pela qual as pessoas buscam dinheiro, porque não têm protetor sobrenatural, não têm meios invisíveis de sustento.

Não podemos ser como o mundo. Os filhos do Rei não se comportam como o mendigo do diabo. Portanto, pergunte-se: enfrento a vida como um cristão, como um membro da família de Deus, do reino da luz ou como um pagão? Quando as coisas são difíceis e um pouco inseguras, como reajo, com medo ou dúvida, como se tudo dependesse de mim, ou reajo com alegria e confiança, porque sei que tudo está nas mãos de Deus?

Uma coisa é dizer que você é um filho de Deus, que você pertence ao Seu reino, outra coisa é realmente isso ser verdade. Felizmente, se você for um filho de Deus, quando a vida se mostra mortal ou aterrorizante, essa afirmação ainda se mantém porque sua confiança é evidente.

Tudo se resume em como Paulo via a vida, e esta é a linha de fundo. Em 2 Coríntios 4:18, ele disse o seguinte: “Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” Enquanto todo mundo está procurando os meios visíveis de apoio, porque é tudo o que eles têm, estamos satisfeitos em descansar nos meios invisíveis de apoio, porque o versículo 32 repete novamente o primeiro ponto: “Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas.”

Nosso Pai governa o Universo, sejam os seres vivos ou não vivos, e Ele encheu este planeta com uma riqueza incrível, com uma vida incrível. A criação mais poderosa de Deus é a vida. Fico constantemente impressionado com o poder da vida. Até um vírus como esse, esse vírus vivo, tem um poder incrível que você não pode parar. É como as ervas daninhas que crescem em cada rachadura na sua garagem. A vida é muito poderosa. Deus é a fonte de toda essa vida.

Toda preocupação supõe que Deus está ausente ou que Deus não Se importa, ou que Deus está presente e Se importa, mas não pode fazer nada a respeito, porque falta-Lhe o poder. Ou seja, ou Deus é inconsciente, ou indiferente ou ou impotente. Mas não, o versículo 32 diz: “vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas.”

E o versículo 33, no final: “E todas essas coisas vos serão acrescentadas”. Deus tem plena consciência de nossas necessidades e tem o poder de provê-las. Ele sabe, tem plena consciência e tem o poder de fornecer tudo o que você precisa. Deus se importa, Deus sabe, Deus provê.

3 – NÃO SE PREOCUPE COM O AMANHÃ

A ansiedade, a perturbação de alma, é um pecado. Verso 25: “Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida…”. No versículo 31, temos o segundo uso do mesmo verbo, “Não andeis, pois, inquietos…”. Você não é como os pagãos, ímpios, que estão fora do reino. E finalmente, o versículo 34: “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.”

A tradução literal desse versículo seria: “Não comece a se preocupar com o amanhã.” É literalmente assim que você traduziria essa forma do verbo “merimnaō”. Prever o amanhã, economizar, isso é sábio; mas se inquietar é pecado. Deus é o Deus de amanhã, assim como Ele é o Deus de hoje.

Quantas vezes você cantou “Grande é a Tua Fidelidade”? Você provavelmente nem consegue se lembrar do número de vezes que cantou isso. Mas a letra dessa canção vem de um texto no capítulo 3 de Lamentações, escrito por Jeremias. Ouça o que dizem os versos 22 a 24 : “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto esperarei nele.”

As misericórdias do Senhor se renovam com que frequência? Toda manhã. Por que você se preocuparia com o amanhã, quando as misericórdias do Senhor são novas todas as manhãs?

A ansiedade é uma força poderosa. Pode roubar sua alegria. Pode roubar de você sua satisfação. Pode destruir seu testemunho perante os outros. Pode enchê-lo de perturbação e medo, até ataques de pânico estão relacionados ao tipo de ansiedade que o medo produz e a preocupação produz.

Existem pessoas tão comprometidas com o pecado da ansiedade, que se não há nada no presente para se preocupar, elas começam a olhar para o futuro para encontrar algo. O Senhor proíbe isso. Seu futuro está nas mãos Dele. Seu futuro é completamente Dele.

De volta ao versículo 34, para onde estamos olhando agora: “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal”. Não tenha medo do futuro. Deus lhe dará forças para cada novo dia, Suas misericórdias são novas todas as manhãs.

Antecipar problemas é ampliá-los sem a graça para suportá-los, porque você ainda não chegou no amanhã e, assim, ainda não tem a graça para lidar com eles. Antecipar um problema é ampliar o seu tamanho, já que Deus vai permitir os problemas no tamanho real e vai fornecer a você graça suficiente para suportá-los.

O medo é um mentiroso. O medo mente para você. O medo diz que seu futuro não está sob controle. Isso é uma mentira. Não se preocupe com o amanhã; o amanhã cuidará de si mesmo. Você já tem problemas suficientes hoje para lidar. Deus estará lá no futuro. Hebreus 13:8: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente”. Não prejudique o presente se preocupando com o futuro. Você destrói sua alegria e perde o presente.

Portanto, a ansiedade é um pecado incompatível com o fato de que Deus é seu Pai, você é um membro de Sua família eterna e seu futuro está completamente cuidado por Ele. Isso torna a preocupação tão estúpida quanto pecaminosa. Deixe os pagãos se preocuparem; eles não têm protetor, não têm promessa. Nós não somos órfãos espirituais. Não estamos flutuando sozinhos. Nós não somos espiritualmente sem-teto. Temos um lar, temos um Pai.

Todos os Seus recursos e todas as Suas riquezas estão à nossa disposição. Ele nos ama e cuida de nós, atende a todas as necessidades que temos. Tudo o que Ele pede de nós é que o amemos, O obedeçamos e O sirvamos, e não nos preocupemos, porque a preocupação declara que não confiamos Nele, ou que não confiamos que Ele está ciente dos nossos problemas. Mas Ele está.

A ansiedade mostra que não confiamos que Ele se importa conosco. Mas Ele se importa conosco. A ansiedade demonstra que não confiamos que Ele pode fazer qualquer coisa para nos proteger. Mas Ele pode. Esse é realmente um pecado contra o Deus que te ama.

Voltando ao versículo 33, realmente temos a conclusão: “buscai em primeiro lugar o reino de Deus… ”. Como a oração: “Venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade…”. Busque o reino de Deus. Busque tudo o que está em referência a ele. Busque “a Sua justiça…”, ou seja ande em obediência, ande em retidão. Busque Seu reino, não as coisas do mundo. Procure conhecê-Lo, amá-Lo mais. Procure as coisas que compõem o reino. O reino de Deus é alegria, paz, justiça no Espírito Santo.

Busque o Seu reino, busque a Sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas. Todas as necessidades físicas serão supridas. Tudo o que você precisa agora, e tudo o que você precisa no futuro, todas essas coisas serão adicionadas a você. E a Escritura diz: “Olho não viu, nem ouvido ouviu, nem penetrou no coração do homem as coisas que Deus preparou para aqueles que O amam.” Anseie pela glória de Deus, e Ele lhe dará o resto. Obedeça a Ele, e Ele encherá sua vida com todas as coisas boas.

Esse é o único comando positivo em toda essa passagem. Três vezes um comando negativo: “Não se esteja ansioso, não se inquiete, não se preocupe”. O que nos faz colocar as preocupações de lado é buscarmos primeiro Seu reino e Sua justiça. Preocupe-se com Deus, Sua glória, Sua justiça. Preocupe-se em ser um crente obediente, confiante, e Deus derramará bênçãos celestiais sobre você.

Em Lucas, capítulo 10, nosso Senhor está na casa de Maria e Marta. Dizem os versículo 38 e seguintes de Lucas 10:

38 E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa;
39 E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra.
40 Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude.
41 E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária;
42 E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.

Em outras palavras, Jesus estava dizendo a Marta: “Você está se preocupando com a comida, Maria está ouvindo a palavra. Você está preocupada com as necessidades físicas, ela está consumindo alimento espiritual.” Essa é a melhor parte: Por quê? “Porque o homem não vive…” – de quê? – “somente de pão, mas de tudo o que sai da boca de Deus”, que originalmente vem de Deuteronômio 8.

Então, você quer a melhor parte? Busque o reino. Você quer buscar o reino? Então sente-se aos pés de Jesus, como o versículo 39 indica que Maria fez, e ouça a Sua palavra. Encha-se da Sua palavra, seja grato, seja encorajador, ande no caminho da justiça, e Deus suprirá tudo o que você precisar. “Deixe a palavra de Cristo habitar em você ricamente.” (Col.3:16).

Este é um momento em que penso que todos nós que somos crentes devemos nos elevar acima da inquietação e do pânico. Este é um momento para todos nós, como crentes, demonstrarmos nossa confiança no Senhor. Que honremos o nosso Pai nessa circunstância, que lembremos que pertencemos à família de Deus e que temos promessas garantidas acerca de nosso futuro.

Oremos.

Pai, agradecemos por Tua palavra. Ela é para nós um lembrete útil, vindo dos lábios do próprio Salvador. Essas não são promessas de segunda mão, são promessas de primeira mão do próprio fornecedor, nosso Senhor Jesus. Quão gratos estamos por ouvir Dele a afirmação de tudo o que lemos nos Salmos sobre Tuas promessas de suprir nossas necessidades e de o Senhor ser nossa morada, nosso esconderijo, nossa segurança, nosso refúgio, nossa força, nossa ajuda no tempo de necessidade. Agradecemos porque o Senhor nos redimiu e nos tornou Teu verdadeiro povo. E nós somos o povo da promessa e somos o povo da bênção. Somos aqueles que foram feitos obedientes pela obra do Teu Espírito em nossas vidas e, portanto, somos os destinatários de toda a Tua provisão celestial, que nos sustentará na vida fisicamente, para vivermos uma vida útil e completa, e depois entrarmos em Tua presença.

Obrigado, Senhor, que não temos nada a temer e nada com o que nos preocupar, e que, para nós, viver é Cristo e morrer é ganho. Faça, Senhor, que vivamos fielmente todos os nossos dias, gozando de Teu sustento e dando um testemunho completo ao mundo que nos observa da nossa interminável e crescente confiança em Ti. Que nestes dias, possamos demonstrar aos que estão à nossa volta a nossa alegria, a nossa paz, a nossa calma, o nosso amor, com base no fato de termos um Deus fiel, e nos regozijamos nisso e oramos em nome de Cristo. Amém.


Este texto é uma síntese do sermão “The Promise of Peace in a Worried World″, de John MacArthur em 15/03/2020.

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/library/sermons-library/81-72/the-promise-of-peace-in-a-worried-world

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


Leia também:

Teu Pior Inimigo

Segurança Em Meio Ao Pânico


 

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Everton Silva Soares disse:

    Vcs possuem Instagram? Como posso entrar em contato com vcs?

  1. 05/05/2020

    […] Paz Em Um Mundo Perturbado […]

  2. 12/05/2020

    […] Paz Em Um Mundo Perturbado – John MacArthur […]

  3. 26/07/2020

    […] Paz Em Um Mundo Perturbado (John MacArthur) […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.