A Triste Covardia da Igreja

Imprimir

Este texto, escrito pelo Rev. Augusto Brayner, expressa exatamente o que pensamos sobre a manipulação diabólica em torno do situação atual. Homens malignos espalham o terror e o pânico com o propósito de manipular a população, sob falso argumento que estão preocupados com vidas. São os mesmos que defendem o assassinato, via aborto, de dezenas de milhões de bebês a cada ano. Eles começaram com o “fique em casa”, e agora revelam suas intenções de fundo: “Fique em casa, cale a boca e nos obedeça”. 

E a letargia da maior parte da igreja brasileira, conformada com cultos “online”, as famosas “lives”, é estarrecedora.  Impios estão zombando de cristãos apavorados nas redes sociais. Estão perguntando sobre a esperança inabalável que dizemos ter. A igreja aceitou a manipulação de homens malignos e está imobilizada pelo medo.

O medo é uma ferramenta muito eficaz para exercer controle social. E o contexto atual provou ser isso uma verdade. Citando Maquiavel: “Quem controla o medo das pessoas se torna o mestre de suas almas”. C S Lewis escreveu: “De todas as tiranias, a que é exercida sob argumento de buscar o bem de suas vítimas, é, sem dúvida, a mais opressiva”. 


O MEDO DA MORTE PODE CUSTAR A TUA VIDA

“E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz.” (II Co.11.14)

“Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.” (Mt.10.16)

Ao contrário do que muitos pensam, o mal nunca se apresenta como tal à primeira vista. Desde o Éden é assim que funciona. A Serpente no jardim não trouxe como proposta inicial “nega o teu Deus e sirva-me”. Não foi assim que aconteceu. Satanás começou tentando restabelecer princípios fundamentais deixados pelo Criador: “será que foi assim mesmo que Deus disse?”. Seguido de um novo questionamento: “Deus privou vocês de todos os bens do jardim?”. Ou seja, a proposta era aparentemente boa, como se ela dissesse, “eu só quero ajudar vocês”, mas no final sabemos que nada disso era verdade.

O objetivo era enlaçar os nossos primeiros pais com uma aparente demonstração de cuidado e interesse, quando, na verdade, o que ela sempre quis foi acabar com a raça humana e com sua comunhão e submissão ao Criador.

A Serpente, como o mais sagaz de todos os animais selváticos, segue a mesma estratégia em nossos dias. Satanás não nos propõe logo de cara, a apostasia ou o serviço devoto às trevas. Não, ele continua utilizando de suas velhas práticas. Primeiro traz boas propostas para preservação da vida, da família, da sociedade, da democracia, do Estado Democrático de Direito e tantos outros conceitos caros, que são usados com eloquência na boca de ímpios como chavões da nossa época. O discurso é “Cuidem de quem você mais ama, não se arrisque, não saia de casa para aquilo que não é essencial, cuide da vida!”.

Ora, mas a origem desse discurso propagado aos quatro ventos está justamente naqueles que defendem aborto (assassinato de criancinhas), que defendem a demolição dos pilares da família natural, que pregam as maiores perversões da moral humana, que zombam das coisas de Deus. Ora, “mas, na verdade, eles só querem o nosso bem”, dizemos a nós mesmos e aos outros num mantra sem fim, como se o Inferno se preocupasse com a saúde e a vida de alguém (é lógico que muitas pessoas que replicam esse discurso não são nem de longe diabólicas. Pelo contrário, boa parte delas é cristã genuína, irmãos queridos que foram levados a repetir algo que não pararam para avaliar).

Nessa campanha diabólica do “fique em casa”, fomos levados a pensar que uma organização gerida por um burocrata internacional, tem autoridade de dizer o que nós devemos fazer na nossa casa, se podemos ou não trabalhar, se o pequeno comerciante pode ou não abrir seu estabelecimento, se a Igreja tem permissão ou não de cultuar, se um neto pode ou não visitar o seu avô, etc, e se não seguirem à risca tais ordens, certamente morrerão! As pessoas ficaram completamente apavoradas com esse discurso alarmista e, rapidamente, sem pensar, passaram a seguir tudo que é dito na mídia.

Coitado daquele que diz que não cede a esse discurso e que diz não estar com medo. Esse é execrado em redes sociais e conversas particulares. Não ter medo é considerado um absurdo, um sacrilégio, uma ignorância. Veja, não é que desconsideremos a realidade do v-í-r-u-s  c-h-i-n-ê-s que ameaça de fato nossas vidas. Mas será que não devemos questionar o risco real da doença? Se o isolamento total da população é eficiente ou não? Só à título de informação, ontem, 07/05/2020, o Governador do partido democrata do estado de Nova York, EUA, Andrew Cuomo, que já contabiliza 320 mil casos e 20 mil mortes, manifestou suas dúvidas, quando publicou uma pesquisa que apresenta que o percentual de 66% dos hospitalizados no Estado, são provenientes de pessoas em quarentena forçada dentro de suas casas.

Além disso, é preciso questionar também a legitimidade de uma autoridade mundial que determina o que meu Estado, minha Cidade e eu como indivíduo e pai de família devo fazer na minha casa. Onde está a soberania da nossa nação? Quais são os interesses por trás dessas pessoas que da noite para o dia passaram a interferir em todos os países do mundo?

Essas mesmas autoridades mundiais, já não satisfeitas com toda invasão promovida na vida cotidiana das famílias, no trabalho, no monitoramento de celulares via GPS, resolveram ir mais além. Assistimos estarrecidos (caso contrário, já viramos zumbis), o Diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Sr. Michael Ryan, dizer claramente que em havendo descobertas de pessoas contaminadas em determinada família, as autoridades sanitárias devem adentrar naquela casa, no intuito de retirar o paciente de maneira “digna e segura”. Na prática, isso quer dizer que, se o Governo, por meio de um órgão sanitário, entender que minha filha de 2 anos está doente, eles poderão retirá-la dos meus braços para de forma “digna e segura” ser cuidada pelo Estado.

NÃO, isso não pode acontecer! Será possível que ninguém está percebendo que a serpente está pronta para o bote final? Será que ainda não atentaram que o anjo de luz, na verdade, é um demônio e que a aparente preocupação com a saúde, não passa de uma preparação para dizer “negue ao seu Deus e sirva-me”?

Ora, meus queridos, lembremos do que disse o nosso Senhor Jesus Cristo, sejamos não somente símplices como as pombas, mas também prudentes como as serpentes. Vocês acham que uma ditadura irá se instalar da noite para o dia? Será que você imagina que dormiremos em um lugar pacífico com as liberdades individuais garantidas e na manhã seguinte, um tirano estará sobre nós? Não, essa jamais foi a maneira de Satanás trabalhar. Ele tem se apresentado como o anjo da saúde, gritando “ciência, ciência, ciência”, quando, na verdade, o que ele quer é “morte, morte, morte”.

A boca da Serpente está aberta e suas presas estão cada vez mais visíveis, pois o próximo passo é calar a boca das vozes contrárias. Duvida disso? Acompanhe a discussão no Congresso Nacional a respeito da lei proposta pela Deputada Tabata Amaral (PDT), sobre o controle das mídias sociais, incluindo o Whatsapp. Segundo a deputada, o intuito é impedir a propagação de “fake news” relacionadas à informações sobre a crise de saúde.

Mas quem vai definir o que é essa tal FAKE NEWS? Será que não será apenas mais uma forma de controle? Na prática, o que eles querem é monitorar nossas conversas privadas para saber tudo que falamos. Já imaginou o Estado sabendo o que você fala no grupo do Zap da Família? É óbvio que eles não estão interessados em saúde, mas se aproveitam da situação para impor mais controle até sobre a “tiazinha do Zap”. É mole? Ou você acha que Satanás, o Pai da Mentira, está se importando mesmo com notícias falsas? Não, agora a campanha já passou de “fique em casa”, para “fique em casa e cale a boca!”.

E como está a Igreja diante de tudo isso? Ora, em casa também. Temos “lives”, o que mais precisamos? A Igreja do Senhor Jesus Cristo precisa sair desse estado catatônico em que se encontra. A nossa inércia é absurda! Nosso silêncio chega a doer nos ouvidos (só não é pior do que a fala da liderança que já sucumbiu a campanha citada acima). É preciso recuperar a nossa consciência, é preciso rever a situação com senso de proporção mais apurado. É fato que o vírus chinês é perigoso, isso é inegável! Por isso mesmo, é preciso que tenhamos todos os cuidados que são amplamente divulgados e que precisam ser levados em consideração.

Mas viva! Pelo amor de Deus, viva! Não é possível achar que um pai de família para sobreviver e garantir a segurança da sua família vai ter que ficar em casa enjaulado esperando o auxílio do Governo. Isso seria o mesmo que pedi-lo para morrer como condição para vida. Não existe vida humana sem que as atividades que nos humanizam sejam executadas. De que vale viver se o sujeito não trabalha, não estuda, não se relaciona e, principalmente, não cultua ao Senhor?

Devemos avaliar os números, partindo daqueles que dizem respeito à nossa região e, ainda mais, à nossa cidade, nos munir de todos os meios que diminuam o risco de contágio e analisar quando e como precisaremos enfrentar essa doença. Daí, é necessário cobrar às nossas autoridades algum plano de retomada urgente! O contrário disso será sucumbir à voz doce de Satanás que promete guardar a nossa vida, quando seu real interesse é a nossa morte, não só do corpo como da nossa alma.

Os avanços sobre nossas liberdades serão cada vez maiores, caso não tomemos uma postura firme. Continuando assim, haverá um tempo que tais avanços serão tão graves e profundos, que atingirão não somente nosso comportamento, mas, principalmente, nossas consciências. Lembremos que o objetivo final de Satanás é que deixemos Deus. De certo modo, ele já conseguiu nos manter longe do culto congregacional por muito tempo. Se não cuidarmos, iremos começar a achar que isso é o normal e que vale mais a pena evitar o risco do contágio do que cultuar ao Senhor.

Rogo a Deus que nos dê não somente sabedoria, mas também coragem para interpretar a sagacidade da serpente, para entender o que, de fato, é cuidado com a vida e o que, na verdade, não passa da voz diabólica que está inebriando mentes e corações para nos fazer uma geração acovardada e manipulada. Que Deus levante homens prudentes e corajosos que deem um basta nessa campanha do “fique em casa e cale a boca” resgatando as palavras do Senhor dos Exércitos, o nosso grande Profeta, Jesus Cristo que disse “Arreda, Satanás” (Mt.16.13-28).

Rev. Augusto Brayner


Leia também


 

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Solange Pena disse:

    Verdade. Que palavra sábia. Agradeçoa Deus por descortinar todo esse enredo q satanás está querendo nos levar. Como diz a mensagem “arreda satanás”.

  2. Um observador disse:

    Pura verdade! O verdadeiro cristão não pode ser um covarde. Que a igreja acorde e seja uma voz ativa da verdade em meio a tantos enganos e mentiras.

    • ALEXANDRE HENRIQUE BRITO DE MIRANDA disse:

      Nem tanto nem tão pouco. É preciso equilíbrio nesse momento. Existe o risco de contágio em grupo, entretanto, não devemos deixar de cultuar a Deus em nossa vida. Maior que a vida de culto é o culto da vida. É por aí…

      • Administrador disse:

        Prezado, você está apenas repetindo o que a grande mídia e políticos malignos estão dizendo.
        Pesquise sobre o que está sendo tratado por boa parte dos cientistas e médicos sobre esse assunto.
        A grande mídia não transmite nada além daquilo que ela quer que você acredite. Como disse o presidente do STF: “nós somos os editores da sociedade”.
        A maioria dos governadores e prefeitos está boicotando os remédios que salvam vidas e está aproveitando o terror que estabeleceu para dominar as pessoas.
        A covardia da igreja neste momento é uma cilada que Satanás impôs para avançar a agenda do inferno.
        Deus levante homens e mulheres valentes, aqueles que não temeram as bocas dos leões, a cruz, o apedrejamento ou de se tornarem tochas vivas. Essa geração ocidental covarde não suportaria tais coisas, embora ela esteja muito próxima de acontecer.
        Agir com prudência e sabedoria não é a mesma coisa que agir com covardia. Se os escritores do Novo Testamento fossem covardes com esta geração, certamente teriam escrito um tratado de pânico e desespero.
        Os socialistas franceses cassaram a liberdade, proibiram os cultos e destruíram a economia alegando preocupação com vidas. Mas hoje (10/08/20) aprovaram o aborto sem limites. Uma mãe pode assassinar uma criança até na hora do parto. Será que parte da igreja continuará não enxergando em que luta estamos?

  3. Ildomar Silveira Marques disse:

    Também estou perplexo com a passividade da igreja brasileira. Tenho questionado alguns pastores, amigos, ministros e vejo o silêncio, indecisão e, até mesmo, medo. Pouquíssimos são os que enxergam o que de fato está acontecendo e, geralmente, não são líderes, infelizmente.

    • Administrador disse:

      Irmão, infelizmente isso é um fato. A igreja, em grande parte, esqueceu de sua missão e foi tomada pela covardia. Constatei que muitos crentes tem medo da morte e não creem realmente na soberania de Deus.

  4. alexandre disse:

    Não acredito em teorias conspiratórias. Vejamos o que virá depois da pandemia…

    • Administrador disse:

      Se você é um cristão, deveria acreditar. A Bíblia descreve, de Gênesis a Apocalipse, não uma “teoria conspiratória”, mas uma extensa e complexa conspiração satânica através dos milênios. Ele controla os sistemas mundanos (ciência, cultura, artes, comunicação, economia etc.) para lutar contra Deus e sua igreja.

  1. 25/07/2020

    […] Leia também: A Triste Covardia da Igreja […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.