O Reino Milenar (Parte 3)

Imprimir

Este é o terceiro de uma série de  sermões de John MacArthur sobre o Reino Milenar de Cristo e o juízo do grande trono branco (Apocalipse 20). Veja no fim desta página o link dos sermões já publicados.


Continuamos agora nossa trilha no capítulo 20 de Apocalipse, onde estamos vendo o vindouro Reino Milenar de Cristo. É uma realidade maravilhosa, um futuro que Deus preparou para aqueles que O amam.

  • Imagine um mundo onde a justiça e a bondade dominam. Um mundo em que não há absolutamente nenhuma injustiça, um mundo em que todos são tratados de maneira justa, em que nenhum tribunal jamais apresenta um veredicto injusto ou imerecido.
  • Imagine um mundo onde tudo é verdadeiro e nobre. Todas as áreas da vida e da sociedade, do comércio, educação e tudo o mais estando sob controle total e direcionadas para o que é justo.
  • Imagine um mundo onde haja paz total, onde a alegria é abundante, onde a saúde é generalizada, onde as pessoas vivem por centenas de anos, um mundo onde há leões e cordeiros deitados juntos e crianças podem brincar em poços de cobras, onde ursos e vacas andam juntos, liderados por uma criança.
  • Imagine um mundo onde a comida é abundante e o bem-estar é comum a todos. Imagine um mundo governado por uma pessoa perfeita e os escolhidos de Deus, já glorificados, sendo os agentes que realizam Sua vontade e Seu propósito, de modo que a perfeição reina. Imagine um mundo onde o pecado é tratado instantaneamente e com firmeza.

Bem, se você pode imaginar esse tipo de mundo, está começando a entender o caráter do Reino do Senhor Jesus Cristo – o Reino que virá em uma terra restaurada e radicalmente reconstruída.

  • Como vimos na última vez, até o capítulo 19, o livro do Apocalipse trata do tempo antes do Milênio.
  • O Reino Milenar é colocado entre o retorno de Cristo, no final da tribulação (capítulo 19), e a criação dos novos céus e da nova Terra (capítulo 21). O Milênio se encaixa bem entre esses eventos.

A Palavra traz alguns vislumbres desse Reino. E isso veio na encarnação de Deus na pessoa de Jesus Cristo, e em Sua vida e ministério na terra. Por exemplo, ao expulsar demônios e operar curas e milagres; os cumprimentos proféticos desafiando a lei natural; a demonstração do poder do Espírito trazendo salvação. E vimos Cristo governando no domínio de Sua influência espiritual sobre as almas daqueles que depositavam sua confiança nEle.

E todos esses foram um antegozo da glória do Reino. Mesmo no dia de Pentecostes, quando o Espírito de Deus veio, Pedro diz: “Isto é o que foi falado pelo profeta Joel”. E a profecia em Joel 2 é uma profecia referente ao Reino. Pedro estava dizendo que aquilo que aconteceu no Pentecostes foi uma antecipação, uma prévia do que será cumprido no Reino Milenar.

Talvez em nenhum outro lugar haja uma prévia melhor do Reino do que em Mateus, capítulo 16:

Mateus 16
27 Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e, então, dará a cada um segundo as suas obras.
28 Em verdade vos digo alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do Homem no seu Reino.

Já faz muito tempo que Jesus disse isso. Em que sentido Jesus poderia dizer isso? Como é que algumas pessoas estavam ali naquele dia, quando Ele estava conversando com Seus discípulos, que não morreriam até verem o Filho do homem vindo em Seu Reino?

Não seriam todos eles, porque Ele disse que seriam alguns deles. Alguns dos discípulos viveriam até verem o Filho do Homem vindo em Seu Reino? Como é isso?

Mateus 17
1 Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte.
2 E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.
3 E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele.
4 E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés e um para Elias.
5 E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o.

Esse é o cumprimento da promessa do final do capítulo 16.

  • Esse é o Filho do Homem que vem na glória de Seu Reino.
  • Lá Ele foi transfigurado, sendo que os santos do Antigo Testamento são representados por Moisés e Elias;
  • Os santos da Nova Aliança são representados por Pedro, Tiago e João.
  • E, como no Reino, Cristo ocupa o lugar de destaque.

Ele toma o lugar da glória brilhante e ardente, o lugar de governante. Essa foi a prévia notável do Reino que Jesus prometeu que alguns veriam antes de morrerem. [Clique aqui e leia dois sermões de John MacArthur sobre a Transfiguração de Jesus]

Então, vimos algumas prévias do Reino e do caráter do Reino. Mas, em Apocalipse está sua plenitude e realidade. O relato de Apocalipse 20 traz uma estrutura geral, um esqueleto no qual podemos pendurar muitos outros textos bíblicos.

Lembre-se de que no capítulo 19 está o retorno de Jesus Cristo. Ele volta na grande batalha do Armagedom, na qual Se envolve. Ele destrói todos os ímpios remanescentes do mundo, como nos diz o final do capítulo 19 e, em seguida, no capítulo 20, Ele estabelece o Seu Reino.

Conforme vimos na última vez, a primeira coisa no Milênio será a remoção de Satanás.

Apocalipse 20
1 E vi descer do céu um anjo que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão.
2 Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos.
3 E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que mais não engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.

Uma das primeiras coisas que devemos aprender sobre o Reino é que Satanás não estará por perto. O deus deste mundo – e príncipe das trevas – não estará presente. Ele será encarcerado, confinado no abismo e mantido ali por correntes inquebráveis. Ele estará lá até ser libertado por um tempo, e depois lançado no lago de fogo, que é o inferno final, como observado no versículo 10.

  • O entendimento dos amilenistas é que já estamos no Reino, que corresponderia à era da igreja. E que não haverá um Reino literal de Cristo aqui na terra.
  • Os pós-milenistas dizem que Cristo vem no fim do Reino.

Como podemos dizer que estamos no Reino, quando Satanás não está preso?

Pedro diz que “o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (I Pedro 5:8). Paulo alerta “para que não sejamos vencidos por Satanás, porque não ignoramos os seus ardis” (2 Cor. 2:10-11). Portanto, há um leão estridente e perverso se movendo, devorando todos que puder. Ele está envolvido em nosso mundo. Ele não está preso. Essa característica pertence ao futuro, não ao presente. Essa é uma razão pela qual não acreditamos que o Reino já esteja aqui.

Continuaremos agora a falar sobre o reinado dos santos [assunto iniciado no sermão anterior]  

Satanás será preso e o mundo será governado pelo próprio Jesus Cristo, que compartilhará esse governo com Seus santos glorificados do Antigo Testamento, do tempo da tribulação e do Novo Testamento.

Apocalipse 20
4 E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.
5 Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.
6 Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.

  • Daniel, capítulo 7, diz que os santos do Antigo Testamento reinarão.
  • Mateus, capítulo 19, versículos 28 e 29, dizem que os apóstolos e aqueles que seguiram a Cristo em Sua vida reinarão.
  • 1 Coríntios 6:2 e 3 dizem que os santos do Novo Testamento reinarão.
  • E aqui no livro de Apocalipse, é dito exatamente no versículo 4 que os santos da tribulação também reinarão.
  • Portanto, todos os santos de todos esses períodos entrarão em forma glorificada no Reino para reinar com Cristo, e esse é o caráter do Reino.

À exceção dos santos sobreviventes da grande tribulação, os demais estarão com corpos glorificados, pois o Senhor “transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso” (Filip. 3:21).

  • Os crentes do Novo Testamento serão arrebatados e transformados no arrebatamento (antes da grande tribulação);
  • Os crentes do Antigo Testamento, e os que foram mortos na tribulação, serão transformados no final do tempo da tribulação, na ressurreição que Daniel fala no capítulo 12 e versículo 2.
  • Os convertidos e redimidos durante a grande tribulação entrarão no reino em seus corpos mortais, e se reproduzirão durante o milênio [detalhes ao longo deste texto].

Não sei como vamos ser. Não sei como serão essas formas glorificadas, mas não serão como nós somos agora. E, no entanto, haverá alguma conexão, alguma semelhança. E assim, os santos aparecerão na glória da ressurreição. E diz o versículo 4, que eles vão reinar com Cristo e vão se sentar nos tronos. O versículo começa assim: “Vi tronos.” No final do versículo, lemos: “Eles reinaram com Cristo mil anos”. Mais uma vez, no final do versículo 6: “Eles reinarão com Cristo mil anos”.

Esse Reino será na terra, o próprio lugar que Satanás agora governa, e de onde ele será expulso. E como vai ser? Bem, na última vez conversamos sobre algo do caráter físico da terra naquele tempo. Eu apresentei um pouco de um cenário, talvez científico, de como será a terra restaurada.

Não quero falar sobre a terra física hoje, deixe-me falar sobre o caráter do governo de Cristo e Seus santos por um momento. Vai ser um governo universal. Ou seja, o Senhor Jesus Cristo, através de Seus santos, vai governar o mundo inteiro. O mundo será totalmente governado por Cristo. Será um governo abrangente. O Salmo 2 nos diz:

6 Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte Sião.
8 Pede-me, e eu te darei as nações por herança e os confins da terra por tua possessão.
9 Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.

Em outras palavras, é um governo global, abrangente do Senhor Jesus Cristo. Ninguém vai estar fora desse governo. Ele governará em todos os lugares deste globo. De fato, é dito em Daniel 2 que quando Cristo vier a este mundo, Ele será a pedra que atingirá a estátua que representa todos os reinos dos homens, e essa pedra se tornará uma grande montanha e preencherá toda a terra.

Daniel 2
44 Mas, nos dias desses reis, o Deus do céu levantará um reino que não será jamais destruído; e esse reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos esses reinos e será estabelecido para sempre.
45 Da maneira como viste que do monte foi cortada uma pedra, sem mãos, e ela esmiuçou o ferro, o cobre, o barro, a prata e o ouro…

Novamente, no sétimo capítulo de Daniel, você vê o caráter abrangente ou universal de Seu governo:

Daniel 7
13 Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele.
14 E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino, o único que não será destruído.

Esse reino será abrangente e indestrutível. De fato, mesmo no Novo Testamento, temos algumas ideias sobre isso.

Lucas 19
16 E veio o primeiro dizendo: Senhor, a tua mina rendeu dez minas.
17 E ele lhe disse: Bem está, servo bom, porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás a autoridade.
18 E veio o segundo, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas.
19 E a este disse também: Sê tu também sobre cinco cidades.

Aqui temos uma pequena visão sobre o governo abrangente que Cristo terá sobre o mundo, e como Ele o distribuirá àqueles que são fiéis. Ele dará dez cidades para um, cinco cidades para outro governar, dependendo de sua fidelidade.

É um governo universal, e será mediado pelos santos. Também será um governo absoluto. Ou seja, haverá um julgamento rápido sobre quem se opor ao governo. Esse é o caráter absoluto desse Reino. É um governo com uma vara de ferro, como foi dito no Salmo 2. Também será um governo justo. Será benevolente, será certo e justo. Isaías disse:

Isaías 11
3 E deleitar-se-á no temor do Senhor e não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos;
4 mas julgará com justiça os pobres, e repreenderá com equidade os mansos da terra, e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio.
5 E a justiça será o cinto dos seus lombos, e a verdade, o cinto dos seus rins.
6 E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão, e a nédia ovelha viverão juntos, e um menino pequeno os guiará.

Em outras palavras, Ele julgará corretamente, não por causa do que ouvirá de alguém, não por causa do que acha que vê ou do que alguém relatará ter sido visto, mas julgará com retidão, porque sabe tudo.

E assim será o governo político ou social, universal, abrangente, absoluto e justo de Cristo. Mas Ele governará não apenas política e socialmente, mas governará espiritualmente. Ou seja, quando o Reino começar, as únicas pessoas no Reino serão pessoas convertidas. Judeus e gentios que sobreviveram ao tempo da grande tribulação serão os súditos do Rei.

De fato, ao lermos nas Escrituras sobre o caráter do Reino, aqui estão as características sobre as quais lemos:

  • Israel, antes de tudo, será convertido e restaurado em sua terra, Jeremias 30.
  • Jeremias 23:5, Israel terá a terra que foi prometida a Abraão em Gênesis 13 e 15.
  • De acordo com Jeremias 30, Jerusalém será reconstruída.
  • De acordo com Ezequiel 40 a 48, um templo será reconstruído no local apropriado e memoriais serão realizados lá para lembrar a maravilhosa obra redentora de Deus.

E o profeta Miqueias diz:

Miqueias 4
2 E irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor e à Casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e nós andemos pelas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor, de Jerusalém.
3 E julgará entre muitos povos e castigará poderosas nações até mui longe; e converterão as suas espadas em enxadas e as suas lanças em foices; uma nação não levantará a espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra.
4 Mas assentar-se-á cada um debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira, e não haverá quem os espante, porque a boca do Senhor dos Exércitos o disse.
5 Porque todos os povos andarão, cada um em nome do seu deus; mas nós andaremos no nome do Senhor, nosso Deus, eternamente e para sempre.
6 Naquele dia, diz o Senhor, congregarei a que coxeava e recolherei a que eu tinha expulsado e a que eu tinha maltratado.
7 E da que coxeava farei a parte restante, e da que tinha sido arrojada para longe, uma nação poderosa; e o Senhor reinará sobre eles no monte Sião, desde agora e para sempre.

Haverá um mover espiritual. Os crentes da época do Milênio, que vieram da tribulação, também terão filhos. E dentre os que nascerem, muitos crerão em Cristo. Muitos serão levados ao conhecimento de Cristo. O profeta Zacarias escreveu:

Zacarias 8
22 Assim, virão muitos povos e poderosas nações buscar, em Jerusalém, o Senhor dos Exércitos e suplicar a bênção do Senhor.
23 Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naquele dia, sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla da veste de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.

Israel será abençoado. A cidade de Jerusalém voltará a seu glorioso destaque, e o tempo da promessa de Deus a eles será cumprido.

Zacarias 14
16 E acontecerá que todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrarem a Festa das Cabanas.
17 E acontecerá que, se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, não virá sobre ela a chuva.

Agora, isso terá dois efeitos: será uma motivação muito boa para eles irem adorar, e os que não o fizerem ficarão cada vez mais agitados, irritados e hostis. E isso também é importante, porque eles estarão prontos para a guerra [a batalha de Gogue e Magogue] no final dos mil anos.

Isaías 61 e 62 também falam sobre as bênçãos que virão a Israel. Portanto, será um tempo especial para Israel e um tempo especial de salvação para as nações. Além disso, existem algumas outras características espirituais que não abordarei em detalhes, apenas irei mencioná-las:

  • Cristo estará presente no Milênio. Isso é muito claro, de acordo com o Salmo 2, Salmo 72 e o livro do Apocalipse.
  • A verdade também estará lá, de acordo com Isaías 11:9.
  • A justiça florescerá – novamente, Salmo 72.
  • A paz reinará, Isaías 2:4, Isaías 32:17.
  • Haverá alegria, Isaías 12 e Isaías 61.
  • O Espírito Santo liberará imenso poder, Joel, capítulo 2, versículos 28 e 29.

Portanto, a vida espiritual será gloriosa durante esse tempo, e as pessoas virão e adorarão o Messias. Muitos rebeldes serão julgados imediatamente, mas não todos. Restará o suficiente para reunir uma força rebelde no final.

Agora, olhando para o Reino, em termos políticos e espirituais, podemos ver como o Senhor Jesus o domina. E fisicamente? Que tipo de vida vai acontecer?

Primeiro de tudo, a maldição será removida. Isaías capítulo 11, versículos 7 a 9, capítulo 30, versículos 23 e 24, e novamente no capítulo 35, falam sobre como a maldição será levantada e será o Éden novamente, em alguma medida. Joel 2:21 a 27 diz que haverá alimentos para todos. Isaías 29:18, 33:24, 35, Isaías 65, toda essa seção de Isaías fala sobre saúde e cura.

Portanto, será um tempo notável, de todas as formas que você olha para ele. E os santos reinarão. É por isso que ansiamos por esse momento. Este mundo é um lugar bonito, este mundo é um lugar maravilhoso, mesmo que seja amaldiçoado e muito perturbado. Imagine como será quando a maldição for removida, a topografia for alterada e a justiça e a paz governarem tudo! Imagine como será quando voltarmos, e o Senhor Jesus mediar Seu domínio sobre este mundo através de nós! Será tremendo!

Uma pequena nota no versículo 5: os pecadores não salvos não são incluídos no Reino. Os ímpios que morreram ressuscitarão quando os mil anos se completarem. De acordo com o versículo 11, eles ressuscitarão para o julgamento do grande trono branco. Eles terão corpos de ressurreição, corpos adequados para sofrer para sempre no inferno. Examinaremos tudo isso quando chegarmos ao versículo 11.

A primeira ressurreição, então, é a ressurreição dos justos, a ressurreição dos piedosos. Essa é a ressurreição da qual participam os que creram, sejam eles santos do Antigo Testamento, santos do Novo Testamento ou santos que foram mortos na tribulação. Estamos todos na primeira ressurreição. Começa com a ressurreição de Cristo e depois chega à ressurreição da igreja, depois a ressurreição dos santos do Antigo Testamento e dos santos da tribulação, mas tudo está englobado no que é chamado de a primeira ressurreição. É chamada em Lucas 14:14 de a ressurreição dos justos.

Lucas 20
34 E, respondendo Jesus, disse-lhes: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento,
35 mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro e a ressurreição dos mortos nem hão de casar, nem ser dados em casamento;
36 porque já não podem mais morrer, pois são iguais aos anjos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.

É uma ressurreição que vai nos colocar em uma forma diferente, onde não haverá mais casamento. É o que Jesus chamou em João 5:29 “a ressurreição para a vida”. Tudo isso é a primeira ressurreição. Onde quer que os justos estejam envolvidos, é a mesma ressurreição.

Atos 24
15 Tendo esperança em Deus, como estes mesmos também esperam, de que há de haver ressurreição de mortos, tanto dos justos como dos injustos.

Hebreus 11
35 As mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição.

Eis a palavra-chave: “uma melhor ressurreição”. É a ressurreição dos justos, é uma ressurreição melhor. Todos os justos, todos os que morreram por toda a história redentora serão ressuscitados e trazidos para o Reino Milenar.

Todos os redimidos serão transformados e terão um corpo semelhante ao de Cristo, um corpo de glória. Somos gerados para uma esperança viva através da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos (I Pe. 1:36-4). É para isso que olhamos.

Ansiamos pela ressurreição. Esse é um substantivo usado mais de quarenta vezes no Novo Testamento. Sempre se refere a um corpo morto saindo da sepultura. Estamos aguardando o ressurgimento de nossos corpos. Não importa se o redimido morreu há milhares de anos, se seu corpo já de desintegrou ou foi cremado. Ele irá ressuscitar a um comando do Senhor.

E assim, Apocalipse 20:6,14-15 diz:

6 Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.
14 E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.
15 E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.

Os ímpios irão para o inferno eterno, mas os redimidos serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinaremos com Ele por mil anos. O que faz um sacerdote? Leva pessoas para Deus. Essa será a função dos redimidos no Milênio, além de reinar com Cristo.

Quando um redimido morre, seu espírito passa imediatamente a estar com o Senhor. Seu corpo permanece na sepultura até a ressurreição. Assim como Jesus disse às irmãs enlutadas em João 11:23: “Seu irmão ressuscitará”. E três vezes em João, capítulo 6, Jesus disse: “Eu o ressuscitarei no último dia”. Filipenses 3:11 diz: “A ressurreição dentre os mortos”. Assim, uma ressurreição literal, física e corporal, em uma nova forma eterna, como uma semente que cai no chão e morre, e dessa semente que morre, produz vida.

Os redimidos escaparão da segunda morte, o inferno, o lago de fogo, a morte eterna. E entrarão no Reino. E depois que o Reino acabar, viveremos para sempre em glória eterna. É uma coisa tremenda perceber o que está reservado para os redimidos.

Há uma terceiro evento, e esse é o retorno de Satanás.

Apocalipse 20
7 E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão

Durante o Reino, Satanás permanecerá amarrado e preso. Mas, no final, ele será solto da prisão. Por que ele será libertado? E essa é uma pergunta justa. Por que Deus o libertará?

Nenhuma pessoa não salva entrará no Reino. As profecias a respeito do dia do Senhor – a grande tribulação – dizem que esse dia será exaustivo contra os iníquos e todos eles morrerão. E isso significa que as únicas pessoas que entrarão no Reino Milenar serão as pessoas salvas.

Porém, além dos redimidos ressuscitados, estarão no reino os judeus e gentios que se converterão e sobreviverão na tribulação. Quanto aos judeus redimidos, o Senhor os esconderá no deserto, para que o Anticristo não possa destruí-los (Ap. 12). Eles entrarão no Reino em corpos físicos, exatamente como nós temos agora. Eles vão para o Reino em sua forma física normal, sem corpos glorificados.

Somente os justos entrarão no Reino. O versículo 21, do capítulo 19, afirma que após o massacre do Armagedom o restante será morto com a espada, ou seja todos os ímpios que restaram. Não há nada nas Escrituras que diga que qualquer incrédulo sobreviverá à grande tribulação, no Dia do Senhor.

Você diz: “Bem, então os salvos sobreviventes da grande tribulação entrarão no Reino e terão filhos?”.

Claro, e lembre-se de que as condições serão perfeitas, então, eles se multiplicarão. E eles viverão muito e serão produtivos por muito tempo. Mas eles gerarão – adivinhem? pecadores. Porque é tudo o que podemos gerar.

Mesmo em condições milenares, homens produzirão pecadores, porque são pessoas caídas. Então, seus filhos serão pecadores e precisarão ser salvos. E, surpreendentemente, enquanto muitos deles crerão em Cristo, muitos não crerão. Em mil anos, pode haver milhões de pessoas no mundo. O crescimento exponencial da reprodução será rápido. E muitos deles, é triste dizer, amarão seus pecados.

Eles são os que o Senhor julgará, em alguns casos matando-os, em alguns casos por algum outro tipo de julgamento rápido, em alguns casos retendo a chuva para que eles tenham que experimentar condições adversas de vida, como lemos anteriormente. Eles amarão seus pecados. Recusarão a graça de Cristo, recusarão o senhorio do Rei de toda a terra. É uma coisa incrível de se pensar, na verdade.

Embora Jesus Cristo estará reinando em um universo totalmente renovado, mesmo diante de Sua perfeição, de Sua gloriosa vontade sendo executada e de um tempo de paz, prosperidade e justiça, as pessoas rejeitarão a Cristo porque amarão seus pecados. Elas não amarão a justiça. Por quê? “A inclinação da carne é inimizade contra Deus” (Romanos 8:7).

A mentalidade da carne é hostil a Deus. Aquelas pessoas terão todas as provas de que Jesus é Deus, é salvador, bondoso, misericordiosos, gracioso, santo, puro e perfeito. Mas, O rejeitarão. Elas reproduzirão a mesma atitude dos religiosos judeus, que mesmo diante de toda exibição da divindade de Jesus, chamaram-No de endemoninhado e O acusavam de fazer milagres por meio de Satanás.

E O odiaram de forma tão intensa, que não descansaram até vê-Lo pregado numa cruz como um criminoso. Eles amavam seus pecados. Essa é a natureza da depravação, e não importa qual seja o ambiente, isso não muda.

No fim do Milênio, Satanás será solto para oferecer liderança coesa para reunir todos os rebeldes. Ele será solto a fim de reunir todos os rebeldes para revelar o verdadeiro caráter desses pecadores que rejeitarão a Cristo, revelando seu caráter ímpio, para que a sua destruição seja manifestamente justa. Deus poderia matar todos eles, mas não é assim que Ele o fará. Antes de serem mortos, sua rebelião se manifestará, de modo que todo o universo saberá que a execução que Deus trará sobre eles é justa.

A questão relativa à salvação nunca é falta de informação. Não é falta de provas suficientes sobre Deus. A questão é que os pecadores amam o pecado.

Romanos 1
19 porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
20 Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.

João 3
19 E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.

Todos esses pós-milenistas modernos, que chamamos de reconstrucionistas, estão tentando estabelecer o Reino capturando as instituições dos homens através do poder político. Eles dizem: “Temos que ter o controle deste país, temos que colocar nosso povo no poder se queremos ter a liberdade de pregar o evangelho e se queremos continuar a ver os homens vindo a Cristo.”

E quero lhes dizer: não é esse o problema. O esforço para tentar criar uma moralidade cultural para aprimorar o evangelho é um fracasso em entender a depravação do homem. O Reino de Deus não depende disso para avançar.

Caso você ache essa declaração chocante, volte ao ambiente perfeito no jardim do Éden. E lembre-se, havia apenas duas pessoas lá, mas ambas escolheram o pecado. O que a humanidade fará com a depravação? Não importa em que idade, não importa em que tipo de mundo as pessoas vivam, elas são depravadas, amam o pecado.

E isso mostra outra coisa também. Não é preciso Satanás para os pecadores pecarem. Ele não estará presente no Reino, pois estará preso. Se presente ou ausente, Satanás não tem nada a ver com a depravação do homem. As pessoas dizem: “Bem, você sabe, o diabo está atrás de mim e, você sabe, eu caí no pecado”. Acho que não. Se o diabo estivesse preso, você cairia em pecado do mesmo jeito. Não é o diabo que faz você pecar, ele apenas cria o sistema que tenta você.

Não é como se o diabo viesse à sua mente e dissesse: “Faça isso”. Nunca ouvi isso. Mas eu sei que há um sistema que ele projetou, que lança tentações de todos os ângulos. Então, se tirar Satanás do sistema, ainda terá depravação. E se colocar o homem depravado em um ambiente perfeito, ele ainda vai amar o pecado, porque essa é a natureza dele. É isso que é depravação.

Não é que todo mundo seja tão ruim quanto poderia ser, mas é que todo mundo ama o pecado. O pecado cega os pecadores em todas as épocas. Você pode trabalhar o quanto quiser para criar uma moralidade cultural neste país, mas ela não vai resgatar ninguém. Não vai mudar os pecadores, eles amam seus pecados. De fato, uma cultura com princípios morais elevados apenas enlouquece os pecadores.

E você não vê isso acontecer? Onde quer que haja algum cristão na política, ou pareça que alguém que tem um alto padrão de moralidade está prestes a ser eleito, a batalha fica realmente acalorada, porque os pecadores não querem invasão de sua liberdade para pecar.

Então, você terá no Reino homens depravados. A maldade e o ódio desesperados por Deus e por Cristo que Satanás possui não serão alterados por sua permanência na prisão por mil anos. Ele não melhorará, vai piorar. E após ser solto, Satanás exibirá um ódio como nunca. Ele virá com uma hostilidade ainda mais intensa. O castigo não muda as pessoas, muito menos o inferno. Ele virá com desejo de matar Cristo.

Isso nos leva ao próximo ponto: A revolta da sociedade.

Vou apenas dar uma introdução, continuaremos esse assunto na próxima vez.

Apocalipse 20
8 E sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha.
9 E subiram sobre a largura da terra e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada…

Nada externo pode mudar os homens. O ambiente não os muda. É como um porco, você pode dar um banho nele e colocar uma fita no pescoço, e ele ainda é um porco. Isso não vai mudar a natureza dele. Você pode colocá-lo no ambiente mais puro, e ele ainda será o que é.

No final do Milênio, você terá Satanás saindo da prisão, e ele estará odiando a Cristo ainda mais. Satanás sairá para enganar as nações. Obviamente, ele é um enganador, é um mentiroso, e é isso que ele sempre faz, e não será diferente. Ele tem que fazer com que todos os ímpios que nasceram no Milênio batalhem contra Cristo, e ele o fará usando a sua arma do engano. Ele precisará convencê-los de que isso fará sentido.

E Satanás liderará uma multidão que testemunhou todas as manifestações da realeza celestial de Cristo durante o Milênio. Não haverá dúvidas de que Jesus é o Rei e Deus. Não haverá falta de informações. Mas eles se tornarão inimigos de Jesus. E se pudessem, matariam Jesus. Satanás os liderará, sob engano, para um confronto suicida.

Apocalipse 20:3 diz que ele foi amarrado e preso “para que mais não engane as nações”. Ele passa mil anos sem enganar as nações, volta e encontra um povo pronto para ser enganado e segui-lo. Mas, não importa o que Satanás faça, ele está apenas cumprindo os propósitos de Deus.

Continuaremos esse assunto na próxima vez. Vamos nos curvar, então, em uma palavra final de oração.

Que verdade surpreendente, Senhor, é que já somos cidadãos do Reino, já somos súditos do Rei pela fé, que mesmo agora em nossos corações desfrutamos de paz, retidão, alegria, poder, verdade e sabedoria. Senhor, estamos vivendo no Reino agora espiritualmente. Oh, como é maravilhoso pensar em como será viver no Reino de uma forma glorificada, literalmente. Que futuro glorioso nos espera! Que visão incrível do Reino vindouro!

Pai, obrigado. Por um lado, estamos literalmente impressionados por termos sido escolhidos para tanta glória e, por outro, profundamente entristecidos por aqueles que não desfrutarão da primeira ressurreição, mas experimentarão a segunda ressurreição e a segunda morte, que nunca conhecerão Teu Reino e governo, espiritual ou literal ou eternamente, mas devem ser lançados na escuridão externa, onde há choro, lamento e ranger de dentes para sempre.

Pai, obrigado por Tua misericórdia e graça. Dê-nos corações de compaixão. Que nós, como Paulo, supliquemos que homens e mulheres venham a Cristo e escapem do julgamento vindouro. Oh, Senhor, nós Te agradecemos por aquele dia em que Tu removerás Satanás, no qual os santos reinarão, em que Satanás voltando e liderando uma revolta será derrotado eternamente, e entraremos na glória eterna.

Senhor, não precisamos passar a vida imaginando o futuro, pois o Senhor o expôs com tanta clareza. Obrigado por Tua misericórdia e graça da qual o Senhor nos fez parte, para a glória de Cristo, em nome de quem oramos, amém.


Este é o terceiro de  uma série de sermões de John MacArthur sobre o Reino Milenar de Cristo e o juízo do grande trono branco (Apocalipse 20). Veja os links dos sermões já publicados.


Clique aqui e acesse página com índice e links de sermões traduzidos de John MacArthur sobre o Apocalipse.


Este texto é uma síntese do sermão “The Coming Earthly Kingdom of the Lord Jesus Christ, Part 3″, de John MacArthur em 06/11/1994.

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/library/sermons-library/66-75/the-coming-earthly-kingdom-of-the-lord-jesus-christ-part-3

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


 

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. 22/07/2020

    […] O Reino Milenar – Parte 3 […]

  2. 22/07/2020

    […] O Reino Milenar – Parte 3 […]

  3. 11/08/2020

    […] O REINO DOS SANTOS (ver sermão 2 e 3) […]

  4. 16/08/2020

    […] O Reino Milenar (Parte 3) – O Reinado dos Santos (2) e O Retorno de Satanás  […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.