Crê em Deus. Crê em mim

Imprimir

João 14
1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.
2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar.
3 E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.
4 Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.
5 Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?
6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Todos nós percebemos que Jesus está voltando. Esta é a nossa grande esperança. Entretanto, Jesus pode nos proporcionar conforto real nessas horas de tragédias mais profundas e nos tempos de dores mais severas. A nossa fé não é apenas uma fé no futuro, mas uma fé no futuro que nos dá conforto no presente.

Ele está voltando, mas na própria promessa de sua volta há conforto para o dia de hoje. Você pode chamar todo este capítulo (João 14) de conforto. Todo o capítulo trata de conforto. Cristo apresenta aos seus discípulos a promessa de que Ele vai voltar para pegá-los e promete enviar-lhes o consolador: O Espírito Santo (v.16-17). Portanto, é o capítulo do conforto. Nossa fé não é apenas uma fé no futuro, mas é uma fé no futuro que nos dá conforto no presente.

Aquela foi a noite antes da morte de Jesus. Judas tinha sido retirado de sua presença para realizar a traição. E Jesus começou seu discurso de despedida aos restantes onze discípulos. No outro dia o mundo desses onze homens iria entrar em colapso. Numa espécie de um caos inacreditável. Jesus seria preso, humilhado e morto numa cruz. Eles já estavam sofrendo, confusos, perplexos e preocupados. Jesus já havia lhes informado que seu tempo na terra estava prestes a acabar. O amado Mestre, a quem eles amavam, estava indo embora. E assim Jesus lhes deu conforto.

Jesus estava prestes a ser pregado numa cruz, tomar sobre si a condenação do pecado, ser amaldiçoado por Deus, a ponto de ser abandonado pelo seu próprio Pai. Ele estava a um dia de experimentar contra si o cálice da ira de Deus contra toda a impiedade. Qualquer outro homem em uma situação com esta estaria preocupado com seus próprios problemas. Mas Jesus é diferente. Ele ainda teve um interesse primário nas tristezas e nos temores de seus apóstolos. E em vez de estar ocupado com o que iria acontecer com ele, ele estava ocupado com eles. “Ele amou-os até o fim” (João 13:1).

Agora observe isso: A base de conforto vem da fé. Da presença de Cristo. Se você está descontente e sem consolo, se está preocupado, ansioso, desnorteado, perplexo, confuso, agitado, o que quer que seja, a razão é que você não confia em Cristo. Nestes versos (João 14:1-6) Jesus diz: “Confie em minha presença, minhas promessas e minha pessoa.” Os discípulos estavam muito agitados, concentrados em seus problemas e eles não parecem ser capazes de colocar a sua confiança em Cristo. E assim, nestes versos, Jesus diz: “Confie em Mim”.

Primeiro de tudo, Ele diz: “Não deixe seu coração ficar perturbado, credes em Deus, crede também em mim” (v.1).

Na língua grega o texto diz: “Parem de deixar seus corações ser incomodados”. Ele sabia que os discípulos já estavam incomodados. Ele está dizendo: “Não deixem seus corações ser incomodados por mais tempo.” Isso é o que Ele está dizendo. Eles já estavam perplexos. Eles estavam sob uma mistura de emoções. Tudo parecia estar caindo aos pedaços. Todos os seus sonhos e desejos estavam se desfazendo. E a perspectiva sombria de Jesus Cristo morrendo e indo embora os deixaram aterrorizados.

Eles tinham sido totalmente convencidos de que Jesus era o Messias. Mas o conceito que eles tinham de um Messias era de um conquistador ilustre, uma espécie de um super-herói, um rei humanamente triunfante. E suas esperanças tinham aumentado ainda mais quando Jesus entrou em Jerusalém e foi aclamado pelas multidões (João 12:12-13). E então Jesus começou a lhes falar sobre sua morte, como um grão de trigo sepultado na terra morre e produz vida e que este seria seu próximo passo (João 12:23-24; 13:33). E eles foram abalados e estavam cheios de tristeza, porque eles realmente o amavam e o pensamento de perdê-lo era insuportável.

Eles abandonaram tudo e o seguiram, e agora Ele vai abandoná-los e ir embora. E não só isso, Ele ia deixá-los no meio de inimigos que os odiavam por causa dele. Era tudo tão estranho, nada parecia se encaixar. Um Messias que vai morrer. Eles devem ter pensado: “Aqui estamos presos nesta situação e odiados por todos os homens. Ele vai embora. E agora?”

  • E então acrescente a isto a percepção de que eles tinham sido tão orgulhosos e tão egoístas, disputando quem seria o maior (Marcos 10:35-40).
  • Não lavaram os pés uns dos outros e nem de Jesus (João 13:3-15).
  • Também estavam perplexos porque Jesus tinha havia dito que um deles iria traí-lo e eles não sabiam quem era o traidor entre eles (João 13:21-25).
  • Não entenderam por que Judas os deixou. Eles pensavam que ele foi até a loja para comprar um pouco de pão ou algo assim (João 13:26-29).
  • E, em seguida, para piorar as coisas, eles tinham acabado de ouvir Jesus dizer a Pedro, o mais forte deles, que ele iria negá-lo três vezes (João 13:37-38).
  • Certamente havia um pensamento entre eles: “Jesus está indo embora e nós ficaremos sozinhos. Ele poderia ser o Messias? O que está acontecendo aqui?”.

Jesus sabia exatamente o que eles estavam pensando. Ele estava bem ciente de suas mentes. Ele gentilmente se move para confortá-los. E o tempo todo ele estava fazendo isso. Ele sabia que eles iriam se espalhar e abandona-lo. Ele sabia disso. Jesus se coloca igual ao Pai dizendo: “Credes em Deus, crede também em mim”. Uma ordem.

A fé aqui não é tanto a ideia da fé salvadora. Ele não está dizendo que “quem crer em mim será salvo”. Ele está dizendo: “Continuem a confiar em mim”. Mesmo que eu não esteja mais visível. Seria um desafio para eles. Lembra-se de Tomé: “Os outros discípulos [disseram]: Vimos o Senhor. Mas ele [Tomé] disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei” (João 20:25).

O que eles viram, eles creram, este é o nível mais baixo de fé. Eles criam em Jesus. Como eles poderiam rejeitá-lo se Jesus estava ali com eles? Eles tinham visto tudo o que Ele fez. Mas Jesus estava prestes a partir deles e tornar-se invisível ao olho físico. Deus fez uma promessa a Israel:

Esforçai-vos, e animai-vos; não temais, nem vos espanteis diante deles; porque o Senhor teu Deus é o que vai contigo; não te deixará nem te desamparará (Deuteronômio 31:6).

Jesus estava exatamente comunicando isto:

Vocês creem em Deus e Ele é invisível. Vocês creem em seu amor e vocês nunca viram sua forma. Vocês creem em seu cuidado e vocês nunca viram a mão que os protege. Vocês têm plena fé em um Deus invisível. Então, crede também em mim, ainda que eu esteja invisível a seus olhos.

E ali ele se assemelha o que Deus disse sobre si mesmo no Velho Testamento Jesus disse a Tomé após a ressurreição: “Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram” (João 20:29).

O ministério do Espírito Santo é apontar para Jesus Cristo. É testemunhar de Cristo. Este Espírito da Verdade foi enviado para nos manter olhando para Cristo.

Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar (João 16:13-15).

E é por isso que é muito perigoso sempre que você vê um ministério que é centrado em torno do Espírito Santo. Esse não é o ministério do Espírito Santo. Seu ministério é apontar para Cristo e não para si mesmo.

É glorioso saber que Cristo está vivo e presente, embora invisível. Pedro disse: “Ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso” (I Pedro 1:8). O Espírito Santo testemunha continuamente em nossos corações que Jesus Cristo vive e reina. Quaisquer que sejam os seus problemas, ansiedades ou perplexidades, devemos nos lembrar de que o Senhor Jesus vive. Ele disse que estaria conosco todos os dias até o fim (Mateus 18:20).

Você pode pensar: “Bem, seria melhor se ele continuasse visível”. Se ele continuasse visível, ele não poderia estar em toda parte. Apenas em um lugar de cada vez. E agora Ele é capaz de ter sua presença revelada pelo Espírito Santo a todos os crentes em todos os lugares ao mesmo tempo.
E assim, Jesus diz: “Creiam em Mim, homens, eu estarei com vocês. Vocês podem não me ver, mas eu estarei com vocês.”

Em segundo lugar, não só confiar em minha presença, mas nas minhas promessas.

Jesus disse: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar” (v.2). Que pensamento. Ele diz: “Eu vou – para onde? – para a casa de meu Pai.” Ou seja: “Deus é meu Pai”. Jesus, que havia habitado eternamente no seio do Pai, veio para revelar o Pai e estava voltando para a plena glória com o Pai novamente. Casa de meu Pai é apenas um outro nome para o céu. E ele prometeu que viria busca-lo para leva-los para lá. Agora, deixe-me mostrar-lhe um pouco mais sobre o céu. João escreveu:

E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.” (Apocalipse 21:1-4).

Eu já me sinto ligado ao céu. Meu Pai está lá, meu salvador está lá, minha casa está lá, meu nome está lá, minha vida está lá, meus afetos estão lá, meu coração está lá, minha herança é lá e minha cidadania é de lá. A grande promessa que Cristo dá aos seus discípulos e para todos nós é que Ele foi lá ao céu para deixá-lo pronto para nós. Que gloriosa promessa.

E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente. E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada (Apocalipse 21:10-23).

Para quem é esta promessa maravilhosa? “E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” (Apocalipse 21:27). Jesus diz a eles: “Eu vou preparar um lugar para vocês, meus discípulos. Confiem em mim”.

Ele prometeu: “E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também” (João 14:3). O Senhor não enviará alguém para nos buscar. Ele virá pessoalmente para nos levar para casa. Tremenda verdade! E ele nos levará para habitar juntamente com ele. Gloriosa promessa! Jesus disse aos discípulos que não iria abandoná-los. Ele os consola com esta promessa maravilhosa.

Ele completa: “Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho” (João 14:4). Tomé, falando por todos, expressa que eles não tinham certeza de nada: “Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?” O que disse Tomé? Ele está dizendo isso. “Nosso conhecimento de qualquer coisa termina na morte. Você vai morrer e ir para algum lugar. Ouça, nós não sabemos o que acontece após a morte. Não temos nenhum mapa de como chegar ao Pai depois de morrer.”

Jesus responde: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6). Eles não precisavam se preocupar em como chegar ao céu. Ele quis dizer: “Quando chegar o momento, eu vou pegá-los em suas mãos, vocês não precisam ter um mapa… eu vou levá-los até a casa de meu Pai.” Tremendo isto!

Não à toa Paulo disse: “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho” (Filipenses 1:21). E mais: “Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus” (II Coríntios 5:4).

Augustus Toplady (1740-1778) morreu em Londres com a idade de 38 anos. Nos momentos finais de sua vida, ele disse:

Rocha dos séculos deixe-me esconder em Ti. As grandes e gloriosas verdades que o Senhor em misericórdia me deu para crer e me permitiram pregar, agora são trazidas para a própria alegria e apoio da minha alma. O conforto que flui a partir dele me leva muito acima das coisas do tempo e do sentido. Se eu tivesse asas como uma pomba, eu voaria para o seio de Deus e estaria em repouso.

Cerca de uma hora antes de morrer, ele pareceu acordar como de um sono suave e disse:

Oh, o que encanta, que pode sondar as alegrias do céu? Eu sei que não pode demorar muito até que meu Salvador venha a mim.

E, em seguida, em uma enxurrada de lágrimas, ele disse:

Tudo é luz, luz, luz. O brilho de sua glória. Vinde, Senhor Jesus, vem, vem rapidamente.

E ele fechou os olhos e morreu.

Jesus diz: “Você não precisa de um mapa, eu sou o caminho, a verdade e a vida. Eu sou o caminho para o Pai, eu sou a verdade neste mundo e no mundo vindouro. Eu sou a vida eterna”. Tudo está em Cristo. Ele é tudo o que o homem precisa. Tudo que Adão perdeu, você recupera em Jesus Cristo. Ouça: Não importa as circunstâncias, creia nele.

Pai, nós Te agradecemos, esta manhã, por nos ensinar a confiança. Agradecemos ao Senhor Jesus Cristo que é tão digno de nossa confiança. E, Senhor, nós apenas queremos dizer: Confiamos em Ti! Obrigado por nos confortar com estas palavras! Obrigado por tudo que És! Por teu ser tão maravilhoso!

Nós não precisamos de mais nada, o Senhor é o caminho, a verdade e a vida.
Nós Te agradecemos por isso. Oramos para que Seu Espírito tenha liberdade para se mover entre nós. Em nome de Cristo. Amém.


Esta é uma série de sermões traduzidos de John MacArthur sobre todo o Evangelho de João.
Clique aqui e acesse o índice ordenado por capítulo, com links para leitura.


Este texto é um resumo do sermão “Who Goes When Jesus Comes?”, de John MacArthur, em 06/06/1971

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

http://www.gty.org/resources/sermons/1544/who-goes-when-jesus-comes

Tradução e síntese realizadas pelo Site Rei Eterno


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.