A paz sobrenatural

Imprimir
Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.
João 14:27

Estamos em um mundo de tumultos que sonha em ter paz.
Nos últimos 3.500 anos da história, apenas 300 anos são classificados como tendo alguma paz.
As pessoas vivem em busca de uma, cada vez mais remota, paz.
Governos e organizações fazem diversos esforços para alcançar algo parecido com a paz.
Muitos recorrem ao entretenimento, remédios, compras, recreação etc., para possuir alguma paz.
Mas todos os esforços resultam em fracasso.

Mas os ímpios não têm paz, diz o SENHOR.
Is. 48:22

Mas os ímpios são como o mar revolto, porque não se pode aquietar…
Is. 57:20

O conceito de paz tornou-se momentos de calma, tranquilidade e de trégua.
Tempos de prosperidade, contentamento e satisfação.
Tempos sem conflitos, nenhum estresse e ausência de hostilidades.
A história a define como momentos de calmaria.
São conceitos superficiais, incompletos e insuficientes de paz.
Mas é tudo que o mundo pode oferecer.

Mas a verdadeira Paz excede todos os conceitos e expectativas humanas.
Ela procede somente de Deus. É esta paz que Jesus prometeu dar a seus discípulos.

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.
Fp. 4:7

É um conceito de paz totalmente diferente do mundo.
Jesus disse: “Não vo-la dou como o mundo a dá…”
Que paz é esta? Ele disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou…”
Ou seja, Ele nos ofereceu a sua paz e não a paz do mundo.
E Ele disse isto quando estava próximo de ser traído, torturado, humilhado e morto numa cruz.
E Levar sobre seus ombros a punição de todo a humanidade.
Como alguém pode dizer isto em meio a estas circunstâncias?
Ainda mais glorioso saber que suas promessas não foram somente para aqueles que estavam ali…
Mas a todos que viessem a crer nele, em todos os tempos. (João 17:20).

Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.
Rm. 5:10

Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio.
Ef. 2: 12-14

Um aspecto da paz de Cristo foi nos reconciliar com Deus.
O mundo, em rebelião, tem como príncipe Satanás. E assim tornou-se também inimigo de Deus.
Sendo inimigo de Deus, os homens não podem ter a verdadeira paz, pois esta Paz está em Deus.
Na cruz do Gólgota ele pagou a dívida que era nossa e quebrou aquilo que impedia nossa comunhão com Deus.
Deus pôs nossos pecados em Cristo e o puniu.
Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus (II Cor 5:21).
Fomos justificados pela fé em Cristo e reconciliados com Deus.
Tendi sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo (Rom. 5:1)

Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.
Rm. 14:17

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.
Fp. 4: 6-7

Outro aspecto da paz de Cristo é nos permitir experimentar esta paz em nosso interior.
Não é algo temporário e superficial. É uma paz sustentada pela fé.
Confiança, contentamento, serenidade e outros frutos oriundos de um enchimento do Espírito Santo.
Não é ausência de dificuldades, mas de uma paz sobrenatural em meio a elas.
A paz que Jesus nos dá é a sua própria paz. Ele é o Príncipe da Paz (Is. 9:6).
Ao anunciar a descida do Espírito Santo, Jesus disse:
“Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar” (João 16:14)
A paz é um fruto do Espírito Santo (Gal. 5:22)…
Ela estará presente naqueles que se encheram dele.

Graça e paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e de Jesus nosso Senhor,
II Ped. 1:2

Porque ele é a nossa paz…
Efésios 2:14

Um outro aspecto da verdadeira Paz é que ela está somente em Cristo.
Não está em nenhum outro lugar, pois mais aparente que seja.
A paz do mundo é um êxtase da ignorância. Uma fábula.
Uma paz temporária sem fundamento, que depende de circunstâncias positivas.
No julgamento cheio de mentiras, Jesus calou-se diante das perguntas de Pilatos…
Pilatos então exclamou: Por que não respondes a mim? Eu tenho poder para te livrar da cruz? (João 19:10)
Jesus serenamente diz: Nenhum poder terias sobre mim se do alto não te fosse dado. (João 19:11)
Esta paz deixou Pilatos perturbado. Ele sabia que estava diante de um justo.
A Palavra descreve que esta paz excede todo o entendimento. (Fp. 4:7).
É uma paz celestial. Não é possível encontrá-la fora de Cristo.
A paz não é produzida no vácuo e nem em experimentos de manipulações da psicologia.
A paz é uma essência de Cristo… e está somente nele.

Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.
II Pedro 3:14

Outro aspecto da paz de Cristo é que devemos busca-la.
Jesus disse: “Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize…” (Joao 14:27)
Tudo já foi nos dado por Cristo, mas isto não significa que teremos algo sem busca.
Através de buscar a Palavra de Deus e orar, podemos conhecê-lo e ter comunhão com Ele.
Desfrutar a presença graciosa de Deus é resultado de uma busca. E a paz é uma essência divina.
“Aparte-se do mal, e faça o bem; Busque a paz, e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações…” ( I Pedro 3:11)
A paz de Cristo não é simplesmente livramento de coisas negativas como a ansiedade, depressão etc…
Mas no desejo de coisas celestiais: “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt. 6:33).
A fé em Cristo é meio pelo qual podemos experimentar esta paz sobrenatural, totalmente entranha aos ímpios.

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.
Colos. 3:1

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
Fp. 4:8

A fé é pensar… pensar…. sobre o que?
Pensar sobre os atributos de Cristo, suas palavras, suas obras, seu poder e suas promessas.
Quanto mais você conhece a Deus, mais pensará sobre Ele. E mais Dele você desfrutará.
As aflições virão, mas a paz que excede todo o entendimento nos capacitará a lidar com elas.
Nossa mente deve estar ocupada nesta intensa busca pelo Senhor da paz.
E assim experimentaremos esta paz que não pode ser explicada pela mente humana.


Este texto é uma síntese do sermão “Supernatural Peace”, de John MacArthur em 10/05/2015.
Você poderá ouvi-la integralmente (em inglês) no link abaixo:

http://www.gty.org/resources/sermons/43-77/supernatural-peace

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


Este estudo está dividido em 4 partes. Clique abaixo e leia todos:
Jesus nos deu recursos espirituais – Parte 1
Jesus nos deu recursos espirituais – Parte 2
Jesus nos deu recursos espirituais – Parte 3
A paz sobrenatural (Parte 4)


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.